Blog Gilbarco Veeder-Root

Thursday, October 19, 2017
Conheça medidas de recuperação de vapor.jpg Abastecer um carro pode parecer uma tarefa simples, mas a liberação de gases no trajeto que a gasolina percorre entre a bomba e o tanque do automóvel é um problema que cada vez mais chama atenção no Brasil e no mundo. De acordo com o coordenador da Comissão Nacional Permanente do Benzeno (CNPBz), Carlos Eduardo Domingues, para cada mil litros de gasolina vendidos em postos, 1,3 litro evapora durante o abastecimento.

A estatística é alarmante se considerarmos que grandes postos chegam a comercializar mais de 200mil litros de gasolina por mês. Isso significa que uma única revenda pode liberar cerca de 3.000 litros de vapores tóxicos em apenas um ano. Imagine esse número multiplicado 41 mil. Esse é o número de revendedores de combustível no País identificados em estudo da Agência Nacional de Petróleo (ANP).
Os perigos da contaminação por benzeno
Nesse cenário, a segurança do trabalho em postos de combustível é um desafio a ser enfrentado, uma vez que os vapores causam impacto não só o meio ambiente, mas também na saúde do frentista corre sérios riscos, especialmente pela inalação do benzeno, componente do combustível considerado altamente prejudicial e cancerígeno.

O benzeno é um hidrocarboneto aromático e está no Grupo Um, o mais perigoso, da Lista Nacional dos Agentes Cancerígenos para Humanos, criada pelos Ministérios do Trabalho, Saúde e Previdência Social. O trabalhador exposto com frequência a esse hidrocarboneto tem grandes chances de sofrer com irritação nas vias aéreas, nos olhos e, dependendo do grau de absorção, até mesmo perder a consciência.

O coordenador da CNPBz ainda alerta que, em longo prazo, o elemento químico leva a distúrbios, como alterações imunológicas e nas células sanguíneas. Também tende a causar redução de plaquetas, anemia e disfunções no sistema reprodutivo. Domingues acrescenta que o benzeno atinge negativamente não só o trabalhador, mas toda sociedade. Ele comenta que, segundo pesquisas, crianças que moram próximas a postos de combustíveis têm maior incidência de leucemia.
Medidas preventivas são previstas em lei

Para proteger os funcionários que lidam com inflamáveis e combustíveis, o Ministério do Trabalho criou a Portaria Nº 1.109, de 21/9/2016. Entre outras regras, a lei determina que as bombas medidoras sejam equipadas com sistema de recuperação de vapor. O uso do equipamento de proteção também é contemplado na NR 20. A Norma Regulamentadora visa a adoção de medidas de contenção que reduzem o nível de exposição do trabalhador e promovem melhoria do ambiente.

Wednesday, October 04, 2017
O que é reconciliação de inventário e como funciona

A saúde de todo empreendimento comercial depende, fundamentalmente, do controle preciso do que é comprado e do que é vendido. Mas o caminho que o produto percorre, desde a saída do estoque até o consumidor, passa por atalhos e desvios que precisam, em cada etapa, ser cuidadosamente monitorados e ajustados para garantir o resultado financeiro desejado. Exatamente como em uma viagem, em que é importante planejar a rota mais curta e segura, os pontos de parada e abastecimento e – o mais imprescindível - checar regularmente o roteiro para se chegar mais rapidamente, otimizando a utilização de recursos ao máximo.

Quando falamos especificamente sobre postos de combustíveis, esse controle é delicado. Mapear com precisão a quantidade de combustível nos tanques, e até o que é vendido através das bombas, é um processo complicado, mas que se torna cada vez mais ágil e transparente com a ajuda da tecnologia.

Os sistemas de medição eletrônica chegaram para oferecer em tempo real as informações da quantidade de combustível - nos tanques e até do que é vendido - e relatórios de reconciliação de inventário confiáveis que indicam, com precisão, qualquer distorção nos resultados.

Thursday, September 21, 2017
regulamentacao-de- postos.jpg

Uma coisa que nenhum gestor, dono ou funcionário de posto de combustíveis deve se esquecer é que o produto principal de vendas do estabelecimento é algo extremamente perigoso.

Tanto os derivados do petróleo (como a gasolina, o gás natural veicular e o óleo diesel) como o etanol, derivado da cana são  inflamáveis e responsáveis pela emissão de gases que podem representar risco à saúde de quem os manipula.

Diante do perigo que a atividade profissional em postos de gasolina oferece aos frentistas, o Ministério do Trabalho redigiu a norma regulamentadora nº 20, intitulada de segurança e saúde no trabalho com inflamaveis e combustiveis,, que estipula procedimentos de segurança e regras que evitam a exposição indevida de pessoas aos riscos oferecidos pelos produtos inflamáveis e combustíveis.

Quem é do ramo sabe que é preciso tomar muito cuidado durante certas atividades de rotina, por isso, é fundamental conhecer a NR20 e a sua importância para a saúde do frentista.

A norma sofreu algumas mudanças nos últimos anos, o que faz com que muitos postos tenham que correr atrás de melhorias para estar em conformidade com as exigências do Ministério do Trabalho e, assim, poder exercer as suas atividades com segurança, dentro da legalidade e sem risco de interrupções, lacramentos ou multas.

Confira agora um pouco mais sobre a NR20 e como ela é capaz de proteger os frentistas e demais funcionários do posto.

Wednesday, September 13, 2017
manter-o-funcionamento-do-posto.jpg

Que atire a primeira pedra o posto que já não se viu na necessidade de pedir um empréstimo? Os grandes gastos operacionais fazem com que muitos administradores tenham que recorrer à linhas de crédito em busca de capital para sustentar seu funcionamento. Este tipo de situação é mais comum do que você pode imaginar, mas não significa que o posto esteja a beira do caos financeiro.

Um empréstimo é algo corriqueiro na vida de qualquer empresa, principalmente quando se trata de um bom motivo, como o investimento em sistemas de medição e monitoramento ambiental, que garantem menores riscos ao meio ambiente e gestão precisa dos estoques de combustível ou em novas bombas de abastecimento. Para os gestores que estão procurando maneiras de manter o funcionamento do posto e ainda fazer melhorias essenciais, este post foi feito para você! Confira abaixo quais soluções podem ser aplicadas para não deixar o vermelho dominar as contas do posto e quais opções você tem em mãos na hora de solicitar um apoio financeiro!

Thursday, August 31, 2017
montar-posto-de-gasolina-1.jpg

Quem administra postos de combustíveis e compreende as dinâmicas do mercado em que trabalha sabe que postos de gasolina são propriedades que podem ser negociadas como um outro imóvel qualquer. A compra e venda de postos é uma prática comum e que vez ou outra é adotada por redes ou proprietários que pretendem expandir seus negócios.

Por falar em expansão dos negócios, comprar um posto é melhor do que montar um novo empreendimento? Esta pergunta é exatamente o tema central do nosso novo post.

Nossa equipe separou abaixo algumas vantagens e desvantagens de se comprar um posto pronto ou construí-lo do zero. Nosso objetivo é ajudar você a decidir pela melhor escolha para o seu modelo de expansão dos negócios. Confira!

Thursday, August 24, 2017
posto-embandeirado.jpg

Quando os negócios vão bem, é natural que exista um ânimo para criar novas empreitadas em busca de sucesso e lucros ainda mais substanciais. Esta é a lógica de todos os mercados, e como em todo o segmento, cresce quem trabalha direito.

Com postos de gasolina a situação segue mesmo o roteiro. Donos de postos bem sucedidos enxergam a oportunidade de ampliar seus lucros adquirindo outro estabelecimento ou construindo do zero seu novo empreendimento.

Até agora, nenhuma novidade, não é mesmo? Mas existe um detalhe importante que reside aqui: a questão do embandeiramento. Como você já deve ter visto pelo Brasil afora, existem postos bandeirados que possuem contrato de exclusividade e fornecimento com alguma distribuidora de combustível e postos de bandeira branca que não estão vinculados a nenhuma distribuidora.

Não se fidelizar à uma bandeira possui suas vantagens e desvantagens, e é isso que nós vamos abordar neste post. Aprenda agora um pouco mais sobre a diferença entre postos bandeirados e não bandeirados e entenda as vantagens e desvantagens de cada um deles!

Monday, August 21, 2017
Como a automatização ajuda na conferência da entrada de combustível de seu tanque em termos de volume de combustível

Vamos ao cenário: seu posto acaba de receber uma descarga de combustível vinda do caminhão e você, como gestor preocupado que é, resolve conferir se a entrada de combustível no tanque está batendo com volume adquirido junto à distribuidora.

Essa situação é bem comum e faz parte da rotina de quem administra postos. Por mais que haja uma relação contratual e de confiança entre as partes, existem inúmeras variações que infelizmente atormentam a rotina dos profissionais.

Temos conhecimento através de noticiários na imprensa sobre desvios de combustíveis no trajeto entre a distribuidora e os postos. Estas fraudes vão desde a inserção de gaiolas dentro do tanque do caminhão para reduzir a capacidade até aqueles motoristas que se aproveitam da variação causada pela temperatura para realizar pequenos desvios. Esta última situação acontece quando o combustível é entregue em uma temperatura mais elevada, o que faz com que seu volume expanda graças à dilatação do líquido, ultrapassando a seta indicadora e permitindo o desvio quase imperceptível da mercadoria.

Diante de tantas incertezas e possibilidades de ser lesado, os donos de postos sabem que um dos momentos fundamentais de sua rotina é o controle das descargas. Porém, nem a seta indicadora e nem uma régua de medição manual são capazes de entregar um resultado preciso que elimine por completo as chances de fraudes na entrega.

Você verá abaixo como a automatização pode ajudar na conferência entre a entrada de combustível e o volume adquirido junto à distribuidora. Confira!

Wednesday, August 09, 2017
temperatura-do-combustivel.jpg

Imagine esta cena. Depois de fechar a compra de combustíveis para a reposição, o gestor do posto percebe que foi descarregado menos combustível do que foi comprado.

Wednesday, July 19, 2017
calculador-de-roi.jpg

Os postos de combustíveis investem enorme quantias de dinheiro mês a mês para garantir a reposição do seus estoques. Este investimento é extremamente importante para o bom funcionamento do posto, mas representa um elevado custo operacional.

Wednesday, July 12, 2017
gestao-de-estoque-de-combustivel.jpg

Aqui no blog da Gilbarco Veeder-Root você sempre encontra conteúdos exclusivos que foram criados para informar nossos clientes e pessoas interessadas sobre as vantagens e melhorias que nossos produtos podem trazer para um posto de combustíveis.

Sempre apresentamos informações fundamentais e situações que se encaixam na rotina de um posto. Porém, hoje iremos apresentar um caso real de sucesso, que só foi possível graças à utilização dos produtos da Gilbarco Veeder Root.

O Auto Posto M3 é cliente Gilbarco Veeder-Root  desde o início deste ano, mas conheceu a empresa em meados de 2016. Desde então, seus gestores passaram a acompanhar de perto o trabalho da empresa e se interessaram pelas soluções de medição eletrônica dos tanques.

Eles encontraram no sistema a solução para um conhecido problema dos gestores de postos: a imprecisão na medição e controle do volume dos tanques e também a dificuldade de acompanhamento das movimentações no estoque, o que gerava um obstáculo enorme para uma gestão estratégica do negócio.

Como sempre reforçamos em nossos conteúdos, a utilização de sistemas manuais de medição são responsáveis por gerar erros de cálculos, um problema que impacta diretamente nos custos operacionais e nos lucros da empresa. Em nosso site, você pode conferir qual o valor gasto mensalmente com um processo impreciso como a medição manual através do uso da calculadora de ROI que disponibilizamos para quem quiser conferir o custo benefício de nossos produtos.

Os sistemas eletrônicos são mais modernos e capazes de mudar de forma impactante a maneira como um posto analisa seus números e mensura seus estoques e processos de reposição.

O sistema de medição e monitoramento da Gilbarco Veeder-Root é reconhecido mundialmente como um dos dispositivos mais precisos para monitorar tanques de combustíveis. Sua tecnologia capaz de realizar medição em tempo real e ainda transmitir suas informações para acompanhamento remoto são diferenciais que permitem aos gestores lidar com informações importantes e estratégicas, o que gera um impacto altamente positivo nos resultados.

No caso do M3, a principal necessidade dos gestores era relacionada à conferência dos produtos na hora da descarga. Acompanhar as descargas nos tanques é um trabalho muito importante para os processos internos de um posto. Porém, trata-se de um procedimento que toma tempo dos funcionários, desviando-os de suas atividades principais, gerando perda de vendas e queda na lucratividade.